O sistema de segurança do Cristão (Adaptação do Estudo em Primeira Pedro realizado pelo Pr. Rômulo W. Ribeiro: I Pedro 3:13-14)

Tema: Segurança (I Pedro)                               

Título: O sistema de segurança do Cristão (Adaptação do Estudo em Primeira Pedro realizado pelo Pr. Rômulo W. Ribeiro)

Objetivo: Orientar os membros da igreja quanto à necessidade de estar protegido do ladrão das nossas almas

Texto: I Pedro 3:13-14 (E qual é aquele que vos fará mal, se fordes zelosos do bem”. “Mas também, se padecerdes por amor da justiça, sois bem-aveturados e não temais com medo deles, nem vos turbeis.)

Introdução

Há alguns meses atrás minha cunhada se casou e como todos os que se casam querem casa, se mudou com seu marido para uma belíssima casa em Goiânia. A preocupação com a segurança fez com que construíssem murros altos colocando uma cerca elétrica em volta da casa. Apesar de todo este aparato de segurança, eles não ficaram livres de dois roubos. No segundo os ladrões levaram quase tudo que o casal recém casado havia adquirido. O que saiu errado? Alguns poderiam dizer que se um sistema de alarme sonoro estivesse instalado logo após o primeiro roubo os ladrões não teriam voltado a casa. Alguns já poderiam dizer que mesmo com os mais sofisticados aparatos de segurança existentes no mercado, não poderiam garantir a proteção total da casa.

Na nossa vida espiritual as coisas são bem diferentes, pois podemos nos proteger com segurança quando nos entregamos 100% de nossas vidas nas mãos de Deus. Com base no estudo em I Pedro realizado pelo Pr. Rômulo W. Ribeiro quero mostrar três componentes que fazem parte do nosso sistema de segurança espiritual. Se qualquer um deles faltar em sua vida, corremos um grande perigo, mesmo sendo já lavados no sangue de Cristo.

A proteção da Bondade (VS.13) “E qual é aquele que vos fará mal, se fordes zelosos do bem”.

Bondade na visão de alguns filósofos modernos é algo subjetivo sendo meramente considerado como a aprovação de uma pessoa (as). Porem bondade na Bíblia não é definido nos termos de Deus e não dos homens.  Neste verso Pedro diz que as pessoas que fazem o bem (bondade) não serão afetadas pelo o mal. Isto não que dizer que elas nunca passarão por dificuldades, mas que a probabilidade de serem alcançadas pelo mal será muito menor. Um bom exemplo disto são as nossas penitenciárias que em sua maioria estão cheias de pessoas que cometeram o mal e pagam por ele atrás das grades. Pessoas que cometem bondade recebem em sua maioria atos de bondade das pessoas ao seu redor. Mas a bondade que quero falar aqui não é só essa bondade de fazer o bem ao terceiro, como ajudar as pessoas necessitadas, quero falar aqui sobre a bondade de fazer o que é certo.

a)      A Bondade é seguir o certo

Quando lemos o verso: “e fordes zelosos do bem” ou em outra versão: “seguidores do bem”, e refletimos sobre aqueles que buscaram fazer o bem nas escrituras, observamos que bondade tem um peso maior que ser bom para com as pessoas. Fazer o bem é fazer o certo mesmo quando estão nos fazendo o mal. José do Egito é um exemplo disto, pois sofreu muito por fazer o bem como quando recusou adulterar com a esposa de Potifar. José demonstrou bondade para com Deus e para com o marido daquela mulher, mesmo recebendo o mal por isso. Outra situação foi quando José se recusou se vingar de seus irmãos quando estes foram até o Egito atrás de alimento. José demonstrou bondade para com Deus novamente e para com Jacó o seu pai. Nossos governantes ao contrário, claro que com algumas exceções, durante o processo de eleição procuram fazer o bem, porem após ganharem não buscam mais o bem com zelo. Zelo quer dizer “ardente, quente e fervoroso”. Este é a forma que devemos buscar sempre fazer o bem. Paulo nos adverte: “E vós, irmãos, não vos cansais de fazer o bem” (II Tess. 3.13). Zeloso é seguir o bem o tempo todo para sermos protegidos do mal fazendo somente o que é certo.

b)      A Bondade é uma proteção espiritual

A proteção que Pedro garante aqui neste verso não é uma proteção física, mas uma proteção espiritual. A exemplo temos os profetas e os mártires da igreja que foram as pessoas mais bondosas, mas morreram das formas mais temíveis. Estes foram queimados, crucificados, apedrejados e devorados por leões, porem protegidos contra o pecado. Este é com certeza a maior ameaça na vida do crente é somente a bondade pode te proteger. O rei Davi é um grande exemplo disso, pois foi à bondade que sempre o livrou do pecado. Mas foi a falta de fazer o bem que o levou ao pior pecado de sua vida. Vamos analisar aqui momentos da vida de Davi. 

1.      Davi teve a oportunidade para tirar a vida de seu pior inimigo, o Rei Saul, mas Davi disse: “Ninguém pode colocar as mãos no ungido do Senhor e sair ileso”. Bondade!

2.      Davi possuiu a esposa de um outro homem e mandou matá-lo depois. Falta de bondade!

Bondade na vida do crente e fazer o certo para não prejudicar os outros e a sua igreja já que a cada vez que cometemos um pecado fazemos um mal coletivo para todos os que estão em nossa volta. Só com bondade no coração do crente a proteção pode nos acompanhar.

A proteção do Sofrimento (VS.14a) “Mas também, se padecerdes por amor da justiça, sois bem-aveturados”.

Neste verso Pedro diz que as pessoas são protegidas não do sofrimento, mas durante o sofrimento. Você pode estar se perguntando como é isso, qual é a diferença? Paulo tinha um espinho na carne que lhe fora dado para que ele fosse protegido do pecado do orgulho. Ele mesmo disse: “E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar”. (II Co. 12.7) Essa é a diferença, o crente sofre, mas ele vence. O sofrimento é um mal necessário em nossas vidas.

Ilustração: Um jovem candidato queria ser missionário na China. Ele foi falar com Hudson Taylor, que já estava na China há muitos anos. Hudson Taylor deu um murro na mesa. A xícara de chá pulou e o chá foi derramado. O jovem ficou sem saber o que estava acontecendo. O veterano missionário disse: “Na obra de Deus, só vai sair o que realmente existe dentro de você”. Deus retira tudo que não é necessário na vida do servo de Cristo.

O sofrimento revela quem realmente somos, revela o nosso caráter, a nossa personalidade e a nossa índole. Isso acontece para que tudo o que é mal venha ser extraído de nós. Frequentemente encontramos pessoas que reclamam dizendo que Deus não se importa mais com eles, pois eles possuem muitos problemas e sofrimentos. Porem é o sofrimento que nos aproxima ainda mais de Deus. Há um ditado que diz: “Esquecemos facilmente as pessoas com quem nós sorrimos, mas nunca esquecemos as pessoas com quem choramos”. Mas observe que o nosso sofrimento deve ser resultado da Justiça de Deus e não do pecado: “… se padecerdes por amor da justiça, sois bem aventurado”.

A proteção da Coragem (VS.14b) “…e não temais com medo deles, nem vos turbeis”.

Pedro apesar de escrever este verso certa vez ficou com medo de algumas pessoas. Ele estava comendo com os gentios, mas quando ele viu os judeos chegando saiu de fininho para não ser visto comendo com os gentios. Paulo porem ao perceber a covardia de Pedro repreendeu severamente, em público, por sua covardice. Pedro não se rebelou e aceitou a repreensão de Paulo.  

Não existe lugar para covardes na obra de Deus. Medo de falar de Cristo para as pessoas. Medo de defender doutrinas primordiais de nossas igrejas. Medo de desagradar irmãos e membros de nossas igrejas. Mas ter Deus e estar do lado de Deus, sem medo do Homem.

a)      O medo real

Existem dois medos reais mencionados por Pedro na palavra de Deus:

  1. 1.      Pedro fala do medo dos romanos quando diz: “Não tenha medo dos romanos que podem nos colocar nas arenas com leões famintos ou nos pendurar no madeiro como fizeram com o nosso Salvador”.
  2. Medo dos falços profetas: “Não tenha medo dos falsos profetas que podem entrar em nossas igrejas vestidos de ovelhas, mas, na verdade, são lobos devoradores”. 

Estes medos eram as dificuldades que a igreja primitiva enfrentava de dentro (falsos profetas) e de fora (romanos). Mas hoje quais são os temores que temos enfrentado como igreja e crentes em Cristo.

Há alguns meses atrás um pastor recém chegado a uma congregação com pouco mais de 8 membros não entendia qual era o motivo de um crescimento tão lento, já que a igreja encontrava-se a mais ou menos 15 anos naquele município. Logo após os dois primeiros meses a sua dúvida foi sanada ao perceber uma série de atitudes negativas dos membros daquela congregação. Ao corrigir estes erros foi confrontado pelos membros e quase todos estes se desligaram da igreja. Alguns pastores poderiam ficar preocupados como seriam sustentados ou como poderiam dar andamento a uma obra sem pessoas para ajuda-los, mas este pastor não teve medo e com coragem fez o que precisava ser feito.    

Deus não é menor que os seus medos reais, Ele tem poder de lutar e vencer do seu lado como a própria Bíblia diz: “Se Deus é por nos quem será contra nos”.

b)      O medo imaginário

Este é o pior medo, pois é um medo que esta em nossas mentes. Não é um medo real como o sitado anteriormente. É o medo imaginário chamado de ansiedade aquele que sofremos por antecipação. Os médicos dizem que 80% dos nossos temores (ansiedades) não se concretizaram, quer dizer sofremos em vão. Satanás usa este medo para atrapalhar a nossa caminhada com Cristo em alegria e a glória de Deus em nossas vidas.

Ilustração: David Livingstone foi o primeiro missionário a derramar a sua vida pela África. Depois de alguns anos, trabalhando sozinho naquele continente, uma missão escreveu para ele dizendo: “Existe uma boa estrada que nos leva até o local onde você está? Se houver, há alguns homens que gostariam de trabalhar com você”. David Livingstone respondeu: “Se eles virão só se houver uma boa estrada, eu não quero que eles venham. Eu quero homens que venham para África com ou sem estrada”. Aqueles missionários estavam com medo das cobras, dos leões e dos índios. Livingstone disse: “Eles não servem para a obra”. Eles estavam com medo do que talvés vinhesse a ocorer com eles e não com o com Deus queria que ocoresse naquele continente. Não deixe o futuro que só a Deus pertence dominar a sua vida, mas deixe a proteção do corajoso crente em Cristo possui.

Conclusão

O sistema de segurança do crente e composto de Bondade, Sofrimento e Coragem. Chamos este de sistema de segurança de espiritual. O crente é bondoso, sabe lidar com o sofrimento e tem coragem de servir ao Senhor, pois alcançou a salvação. Minha cunhada poderia ter protegido a sua casa comprando sistema de alarme sonoro, porem a proteção espiritual do crente já foi compra e paga com o sacrificiu de Jesus na cruz. Somos salvos de forma gratuita. Salvos estamos nas mãos de Deus que nos protege dos perigos que estão ao nosso deredor, mas não ao nosso lado, pois só Cristo anda do nosso lado.

About these ads
This entry was posted in Sermão/Sermons. Bookmark the permalink.

One Response to O sistema de segurança do Cristão (Adaptação do Estudo em Primeira Pedro realizado pelo Pr. Rômulo W. Ribeiro: I Pedro 3:13-14)

  1. joel says:

    Um conforto para todos aquel.es que em Jesus dividem o seu tempo para o bem da humanidade cristã, É realmente importante que o cristão tenha a segurança necessaria para que entre na mansão celestial

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s